RELEASE | Desarranjo, de Marco Aurélio de Souza

Pode-se dizer que Desarranjo, de Marco Aurélio de Souza, é um dos mais nojentos livros sobre o ser que já somos, ou que estamos nos tornando. Mas não quero que me entendam mal: não há nada de errado em vomitar vinte e quatro capítulos repulsivos em que um escritor obeso, narcisista, ambíguo, maníaco-depressivo – quando não paranoico ou histriônico – e born-to-be-loser canaliza em forma de fluxo de consciência e de baixa literatura o esgoto a céu aberto que é a sua vida.

Vidas de merda produzem livros de merda. E é no delta desses dois braços de rios polutos que a ambivalência do narrador revela as duas pontas de uma mesma realidade. (…) Tudo se passa como se o narrador-cuzão dissesse: “se é isto a literatura, essa embromação ficcional do vivido, melhor assumir logo que a literatura tornou-se uma matéria fecal, uma contínua exposição de tripas, um mar de esgoto a céu aberto – em síntese, uma merda colossal infinitamente espiritualizada pelos intelectuais”. Então, o autor é um estripador, um açougueiro ocupado dos miúdos, um expositor de duodenos, jejunos-íleos, cólons e sigmoides.

Esse é o gesto do cuzão, capaz disso não porque lhe sobre uma superioridade moral, estética ou política qualquer, mas porque ele é o ponto de inflexão inconsciente, e privado de mensagens edificantes, que entrega a uma sociedade a visão crua e desprovida de sutilezas do que ela tem feito de si mesma e dos seus. O cuzão é um anti-herói da ética social. Sua autoficção mentirosa é um desarranjo especular que nos devolve a nossa própria e cambiante imagem como rebanho moral, forçando-nos a nos reconhecer, ao menos parcialmente, na forma autoindulgente de um babaca individual: “um merda” cuja singularidade se prova tão universal quanto a pretensão de ascendência e correção que habita em qualquer um de nós.

Murilo Duarte Costa Corrêa

Serviço

Desarranjo, de Marco Aurélio de Souza

Editora Penalux

258 páginas

R$ 45,00

Onde comprar:

www.editorapenalux.com.br

Marco Aurélio de Souza (Rio Negro/PR, Brasil, 1989) é autor dos livros Desarranjo (romance, 2020), Assombro Zen (poemas, 2020), Os touros de Basã (contos, 2019), Anjo Voraz (Prêmio Benfazeja, poemas, 2018), Travessia (poemas, 2017), Conexões Perigosas (romance, 2014) e O Intruso (romance, 2013). Publicado em diversos periódicos e antologias, com destaque para a coletânea de jovens contistas 15 formas breves, editada pela Biblioteca Pública do Paraná. Doutor em Estudos Literários pela UFPR, atualmente, atua como professor de História na rede pública de educação. Edita o selo Olaria Cartonera e mantém a página de crítica de poesia contemporânea O Pulso – decálogos sobre a poesia viva. Vive em Ponta Grossa/PR.

Facebook Comments

Sobre o autor

danielosiecki
Editor-chefe da TXT, Daniel Mascarenhas Osiecki nasceu em Curitiba, em 1983. Escritor e editor, publicou os livros Abismo (2009), Sob o signo da noite (2016), fellis (2018), Morre como em um vórtice de sombra (2019), Trilogia Amarga (2019) tendo mais dois no prelo: 27 episódios diante do espelho e Fora de ordem. Editor-adjunto da Kotter Editorial, é mestre em Teoria Literária e organizador do sarau-coletivo Vespeiro - vozes literárias.

danielosiecki

Editor-chefe da TXT, Daniel Mascarenhas Osiecki nasceu em Curitiba, em 1983. Escritor e editor, publicou os livros Abismo (2009), Sob o signo da noite (2016), fellis (2018), Morre como em um vórtice de sombra (2019), Trilogia Amarga (2019) tendo mais dois no prelo: 27 episódios diante do espelho e Fora de ordem. Editor-adjunto da Kotter Editorial, é mestre em Teoria Literária e organizador do sarau-coletivo Vespeiro - vozes literárias.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: